domingo, 8 de janeiro de 2012

Fundamentalismo católico e o debate gay

O padre  Luís Corrêa Lima     que também é mestre em História Social da Cultura pela PUC-Rio, onde é professor desde 2004, e doutor em História pela Universidade de Brasília , Formado em Administração, Filosofia e Teologia diz discordar da visão católica e preconceituosa contra gays que ainda existe na igreja.



Para ele leis que se usava há mais de dois mil anos atrás na religião judaica não pode servir para a igreja contemporânea, porque ela estava inserida dentro de uma cultura própria que nada tem haver com a modernidade, por exemplo as leis daquele tempo eram cruéis, admitia a pena de morte para homossexuais, e para quem quebrasse algumas leis que hoje são totalmente toleradas na nossa sociedade.

Por outro lado outro padre já diz exatamente o contrário, ele ataca a união entre dois homens como sendo uma  "ideologia gay" defende o sexo não como fonte de prazer e sim de procriação.

Ele ainda reduz a atração sexual pelo mesmo sexo e o amor   apenas como sendo uma fonte de devassidão sexual que gera morte,doenças e outros males.
Só que muita gente discorda da opinião deste padre porque as estatísticas revelam que o número de infectados com o vírus da Aids aumentou muito entre heterossexuais, muitos transam sem uso de preservativo, porque  inclusive a própria igreja condena.



A prostituição é um fenômeno bastante alto entre heterossexuais, isto porque a igreja só admite que sexo legítimo é apenas aquele praticado dentro do casamento, oque vai além disto é um tipo de fornicação e até prostituição.



Muitos acreditam que a igreja católica não tem moral para estabelecer doutrinas  ou estabelecer oque é certo ou errado no campo da  sexualidade, até porque em muitos países católicos existem vários  casos de pedofilia e homossexualismo entre os próprios padres.

Um comentário:

  1. Pois é. Tentar justificar o errado com o erro alheio não tem validade. Prostituição, fornicação e homossexualismo aos olhos de Deus são pecados. Eu acho que as pessoas tem que aprender a lidar com algumas coisas e parar de confundir outras.
    É fato que em qualquer lugar (inclusive dentro das igrejas, no meio legislativo, nas ruas, nas escolas) existem pessoas boas e más, pessoas que seguem e que não seguem leis, que se aproveitam ou não das outras sem o menor pudor. O fato de haver padres homossexuais e pedófilos, o fato de existirem freiras que abortam todos os anos e jogam seus fetos em caixa d'águas, rios e mato, o fato de existirem pastores que são ladrões e enganadores, etc, não fará a bíblia ser diferente, nem mudar o conceito existente nela. Aliás, tudo isso que está acontecendo já era previsto. Falsos profetas (ou ensinadores) e pessoas que pregam uma coisa e realizam outra (até politicamente falando) é inerente ao ser humano, não a religião. E é isso que a sociedade tem tentado fazer: confundir a cabeça daqueles que não conhecem as coisas e não discernem o certo do errado. Quem erra o faz conscientemente, mas quem avalia, esse está se enganando e sendo cegado pela mídia.

    ResponderExcluir

Comentar é livre, criticas serão aceitas sempre, mas comente com responsabilidade, palavras de baixo calão, palavrões e imoralidades terão os comentários excluídos.