quinta-feira, 2 de junho de 2011

A mágica do Rá

Há algum tempo a paranormalidade estava muito em moda  muitos nomes foram surgindo
se revelando com algum dom especial para coisas surpreendentes,Quem não se lembra de Thomaz Green Morton ?


Nos anos 80. Atores da Globo, como Dina Sfat, cantores e cantoras, como Gal Gosta e Tom Jobim, e políticos, como Sepúlveda Pertence, fugiam da agitação para se recolher na chácara de 1 hectare – apelidada por ele de Thomaz World – de um carioca de sotaque caipira que atende por Thomaz Green Morton de Souza Coutinho.


A cantora Baby do Brasil foi a seguidora que mais difundiu o “Rá” do paranormal. A sintonia entre ele e Baby era tamanha que Thomaz tinha um galinheiro apelidado Baby e Pepeu (Gomes, que à época era casado com Baby) Hoje evangélica, Baby voltou-se contra o antigo mestre, a quem chama de Lúcifer, segundo o próprio Thomaz.



É verdade. O homem do “Rá”, cumprimento cósmico usado por Thomaz, deslumbrou-se com a fama mas depois todos os artistas se afastaram . “A Gal (Costa) fazia comida na cozinha da minha casa e, de repente, sumiu. Me decepcionei com amigos da classe artística, com Gal, Baby (do Brasil), Rita Lee, Simone.”


Thomas Green Morton para muito se tornou uma fraude e também recusou o desafio de provar que sua paranormalidade é verdadeira,o Mágico profissional, James Randi declarou que ele é uma fraude e seus truques são passam de ilusionismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentar é livre, criticas serão aceitas sempre, mas comente com responsabilidade, palavras de baixo calão, palavrões e imoralidades terão os comentários excluídos.